Programação

5

Dia

novembro

Dia

12

novembro

Dia 5 de novembro

9h

Abertura

Ana Toni
Diretora-executiva do Instituto Clima e Sociedade (iCS)   
André Guimarães
Diretor Executivo do IPAM
Denise Dora
Diretora executiva da ARTIGO 19
Caetano Scanavino
Coordenador geral do Saúde & Alegria
Caio Magri
Diretor-presidente do Instituto Ethos
Christel Scholten
Diretora executiva da Reos Partner
Geraldo Julio
Prefeito da cidade do Recife
Glaucia Barros
Diretora programática da Fundación Avina no Brasil
Guarany Osório
Coordenador do Programa de Política e Economia Ambiental do GVces
Guilherme Sirkis
Diretor do Centro Brasil no Clima (CBC)
Sonia Guajajara
Coordenadora da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib)
Victor Salviati
Superintendente de Inovação e Desenvolvimento Institucional da Fundação Amazônas Sustentável (FAS)

Com mensagens dos correalizadores a Abertura pautará as urgências, preocupações e avaliações que endereçam a realidade da governança ambiental e climática do Brasil, bem como as principais preocupações e a posição da Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC), como uma mobilização coletiva atenta ao contexto local e global, às ambições e às pautas transversais que marcam de um lado as tragédias climáticas e de outro as soluções em direção à justiça social e ambiental.

10h10

Estratégias para potencializar a ação climática subnacional

Eduardo Tavares

Eduardo Tavares

Rolf Bateman

Rolf Bateman

Inamara Mélo

Inamara Mélo

Shara Mohtadi

Shara Mohtadi

 Moderação 

Samanta Della Bella

Samanta Della Bella

Visando apoiar os estados na consecução da Carta de Compromissos da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema), pactuada durante a Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC) de 2019, convidamos importantes coalizões de estados para compartilharem, durante esse painel, as estratégias envolvidas para a implementação da ação climática subnacional. Nosso objetivo é discutir como potencializar as ações de captação de recursos, projetos, troca, monitoramento, resultados, engajamento, de modo a inspirar a atuação e avanço dos Estados Brasileiros na agenda do clima.

11h20

Perfil das Emissões Brasileiras de GEE nas ultimas três décadas

Adriana Campelo

Adriana Campelo

Patrícia Iglecias

Patrícia Iglecias

Antha Williams

Antha Williams

Rodrigo Agostinho

Rodrigo Agostinho

Luiz Alberto Sabóia

Luiz Alberto Sabóia

Rodrigo Perpétuo

Rodrigo Perpétuo

 Moderação 

Amanda Costa

Amanda Costa

Os futuros gestores municipais enfrentarão o desafio de recuperação econômica pós-pandemia, com a oportunidade de considerar soluções que favorecem a redução de emissão de gases de efeito estufa, além da resiliência e adaptação das cidades aos eventos climáticos extremos, como a maior frequência de secas e tempestades. Neste painel, serão abordadas ações e caminhos de implementação da Agenda Urbana do Clima, com soluções transversais aos temas de saúde, emprego e mobilidade, associados à agenda climática local.

13h00

Lançamento da Publicação: Como contribuir para criar e implementar políticas públicas sobre mudança do clima? Guia para estados e municípios

Eduardo Taveira

Eduardo Taveira

Ludovino Lopes

Ludovino Lopes

Inamara Mélo

Inamara Mélo

Stephanie Horel

Stephanie Horel

 Moderação 

Samanta Della Bella

Samanta Della Bella

Visando colaborar com o avanço dos estados brasileiros na pauta climática, o programa “Parcerias Estratégicas para a Implementação do Acordo de Paris (SPIPA)” - iniciativa financiada por meio do Instrumento de Parceria da União Europeia e do Ministério do Meio Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha - elaborou, com o apoio da CT Clima da Abema, estas duas publicações que trazem relevantes questões em relação às competências jurídicas e administrativas dos entes subnacionais para a implementação dos compromissos climáticos, além de uma visão acerca dos instrumentos regulatórios, econômicos e financeiros disponíveis.

14h00

Recuperação verde da economia - uma oportunidade para o Brasil

Angela Barbarulo

Angela Barbarulo

Inamara Mélo

Inamara Mélo

Sérgio Xavier

Sérgio Xavier

 Moderação 

Guilherme Syrkis

Guilherme Syrkis

O painel é um convite a uma reflexão sobre quais serão as ferramentas práticas a serem utilizadas para uma retomada verde da economia, bem como para identificar quais devem ser os setores prioritários. A pandemia do coronavírus impactou fortemente a economia brasileira, que deve entrar numa recessão neste ano, com estimativa de queda de até sete pontos do Produto Interno Bruto (PIB). A recuperação da última grande crise econômica, em 2008, se deu com uma sobrecarga na exploração dos recursos naturais e aumento significativo das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). Já há um consenso entre ambientalistas e muitos economistas, de que a reconstrução econômica deve estar também em linha com os objetivos climáticos. O estudo "Uma Nova Economia para uma Nova Era: Elementos para a construção de uma economia mais eficiente e resiliente para o Brasil”, do WRI, mostra que implementar medidas de baixo carbono resultaria num aumento acumulado adicional do PIB brasileiro de R$ 2,8 trilhões até 2030, enquanto a retomada verde da economia geraria 2 milhões de empregos a mais do que o "business as usual" em 2030.

15h10

Acordo de Paris - o papel de iniciativas multilaterais de promoção da democracia ambiental

Ana Barreira

Ana Barreira

Natalia Gomez

Natalia Gomez

Carlos de Miguel

Carlos de Miguel

Rubens Born

Rubens Born

 Moderação 

Joara Marchezini

Joara Marchezini

Nesse painel discutiremos como a Convenção de Aarhus e o Acordo de Escazú podem exercer um papel central no combate à mudança do clima e no cumprimento dos compromissos assumidos pelos países no âmbito do Acordo de Paris. A garantia dos direitos de acesso à informação, à participação e à justiça em temas ambientais é uma condição necessária para a implementação de ações efetivas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas. A Convenção de Aarhus (1998) e o Acordo de Escazú (2018) buscam respectivamente, na Europa e na América Latina, garantir tais direitos e promover uma democracia ambiental mais robusta.

16h20

A proteção de defensores/as ambientais e o Acordo de Escazú

Claudelice Santos

Claudelice Santos

Kleber Karipuna

Kleber Karipuna

Solange Teles da Silva

Solange Teles da Silva

 Moderação 

Thiago Firbida

Thiago Firbida

O painel promoverá um diálogo sobre as perspectivas e desafios da garantia de ampla segurança dos/as defensores/as ambientais no país. Abordará também, o potencial que o Acordo de Escazú pode desempenhar, dado que caracteriza o primeiro acordo do mundo a prever mecanismos específicos de proteção de defensores/as ambientais. O Brasil é um dos países mais violentos do mundo contra defensores/as ambientais. Se não bastasse essa triste marca, vivemos em um contexto no qual a criminalização e a violência contra esse grupo aumentam a cada dia. O que pode ser feito para transformarmos essa marca?

17h30

De fora para dentro - o contexto global do clima e inspirações para o Brasil

Ana Toni

Ana Toni

Isabel Cavelier Adarve

Isabel Cavelier Adarve

Yamide Dagnet

Yamide Dagnet

O ano de 2020 é crucial para a agenda climática global: completam-se cinco anos e entra em vigor o Acordo de Paris, ainda com muitas regras a definir, e espera-se também uma revisão e aumento de ambição nas metas de redução de emissões dos países signatários do Acordo. Por conta da pandemia da Covid-19, tornou-se também crucial o debate sobre os rumos para a recuperação econômica, de forma a colocar o mundo numa trajetória de baixo carbono. O recente anúncio da meta da China de chegar a 2060 com emissões neutras, as revisões de algumas das NDCs e anúncios climáticos de empresas e investidores, além, é claro, das eleições nos Estados Unidos colocam o mundo em um novo momento, e é necessário debater os impactos dessas transformações no Brasil e na América Latina.

18h40

A dimensão humana da crise climática - a construção de políticas para pessoas migrantes e deslocadas

Erika Pires Ramos

Erika Pires Ramos

Tatiana Cardoso

Tatiana Cardoso

Júlia Mello Neiva

Júlia Mello Neiva

Valcléia Solidade

Valcléia Solidade

 Moderação 

Rogenir Almeida Santos Costa

Rogenir Almeida Santos Costa

O objetivo do painel é dar visibilidade ao tema das migrações climáticas e pautar as demandas de políticas públicas focadas na atenção a pessoas migrantes e deslocas, em função das mudanças climáticas.

19h40

Queimando Futuro - a árvore refugiada

Jaciara Borari

Jaciara Borari

Sérgio Besserman

Sérgio Besserman

Nayara Castiglioni

Nayara Castiglioni

Sérgio Guimarães

Sérgio Guimarães

 Moderação 

Fernando Gabeira

Fernando Gabeira

Anualmente são derrubadas milhões de árvores e isso contribui com o aquecimento global. O objetivo do painel é promover um diálogo sobre a ameaça aos biomas e à biodiversidade brasileira.

INFORMAÇÕES

Um pouco mais sobre nós

Onde vai acontecer?

Essa será a primeira edição online! Em breve traremos mais informações e detalhes

Como entro em contato?

Você pode mandar um e-mail para:

Edson Lopes  elopes@ethos.org.br

Flavia Resende  fresende@ethos.org.br

Marina Esteves  mesteves@ethos.org.br

Há quanto tempo a CBMC está por aí?

A Conferência Brasileira de Mudança do Clima

teve a sua primeira edição em novembro de 2019,

a ideia é que seja um encontro anual.

Onde mais podemos encontrar a CBMC?

Tentamos manter uma presença ativa em algumas de nossas redes. Aqui estão alguns lugares que você pode nos encontrar também:

  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
logo CBMC 2020.png